Matérias do MÓDULO I

17-09-2012 22:52

 

Sumario

 

03   Introdução

04   A Chamada e seus sinais

11   Desafio dos novos obreiros e lideranças da igreja contemporânea

23   A Igreja Organismo Vivo

25   A Igreja Sistema Organizacional

 

 


Introdução

 

O CFOL Centro de Formação de Obreiros e Lideranças, foi criado para atender as necessidades reais da Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Ministério de Madureira – Campo de Santana de Parnaíba, presidida pelo Pastor Natanael Costa de Oliveira.  Visando o crescimento e o desenvolvimento do campo, chegamos a conclusão que a criação de um CFOL estaria sendo um mecanismo de grande importância para que alcançássemos o objetivo principal que é o crescimento quantitativo e qualitativo de nossa igreja.

O CFOL possui em sua grade pedagógica com disciplinas que não estão incluídas no seminário teológico. Nossas disciplinas foram criadas dentro de uma analise das necessidades reais vivida no campo onde se localiza nossas igrejas. 

Visando a formação de novos obreiros e lideranças, o CFOL será totalmente gratuito aos seus alunos; ou seja, não haverá taxa de matricula, nem mensalidades, e todo o material didático é fornecido gratuitamente.

É importante compreender que o CFOL não é um centro de reciclagem para obreiros. Somos um centro de formação para novos obreiros e lideranças. Para reciclagem de obreiros o ministério se utiliza de outros mecanismos; e para a formação intelectual de seus obreiros e lideranças no âmbito teológico, o ministério se utiliza do seminário teológico.  Sendo assim, o CFOL não se enquadra nestes âmbitos.

 

Pr. Prof. João Carlos Cruz

Diretor do CFOL

www.pr-joaocarloscruz.webnode.pt

 

 

 

 

 

 

A CHAMADA E SEUS SINAIS

Todas as chamadas de Deus ao homem, desde os tempos bíblicos até os dias atuais, são acompanhadas de sinais.  Estes sinais servem para que o próprio homem compreenda que realmente ele foi chamado a uma missão especifica.

Não há chamada sem sinais, embora os sinais não sejam de iguais para todos os chamados; mas nunca deixarão de ocorrer os sinais.  No decorrer desta disciplina, estaremos estudando o chamado de um homem em um contexto histórico de mudanças significativas para a nação de Israel. Poderíamos estudar o chamado e os sinais de muitos homens da bíblia, todavia, iremos estudar a cerca de Saul, pois é um homem que julgo possuir uma semelhança autentica com o cenário atual, no tocante ao ministério. Pois temos vivenciado uma grande metamorfose moral entre várias lideranças eclesiástica.

 

Descrição: https://encrypted-tbn2.google.com/images?q=tbn:ANd9GcR50-59mgp2eh9e3LZJO9vZ_aA7EwmcL7PCZlO3jgkDPiwl17RZkg                   O CHAMADO DE SAUL

                                 I Sm 9.17, 20


Saul primeiro rei de Israel, da tribo de Benjamim,           filho Quis.
 

Israel era uma nação governada pelos juízes, a bíblia diz que o povo se cansou de ter os juízes como governante,       queriam ser como outras nações...ter um rei
O governo de Deus era teocrático, Deus era o seu rei.
Porem Deus permitiu e satisfez  o desejo de Israel, isso entristeceu o coração de Samuel       que foi o ultimo  juiz de Israel.
Deus disse: ____ Samuel,  eles não estão rejeitando a ti Samuel, mas sim a mim. Eles querem um Rei?  Então Eu vou fazer a vontade deles, Eu darei a esta nação um rei, para governá-los.
Saul jamais pensou que seria e que entraria para a historia da igreja e do mundo, como sendo o primeiro rei, porque as condições em que ele foi chamado, e foi escolhido, foi muito diferente e inusitado, porque ele é escolhido e ungido a rei de Israel, através do profeta Samuel, quando estava empenhado em uma missão a busca das jumentas do seu pai, que havia se perdido, (ele saiu em  busca das jumentas, e volta consagrado ao reinado de Israel).
Mas a verdade é que o pai de Saul, um homem chamado QUIS da pequena tribo de Benjamim, era conforme diz a Bíblia, um fazendeiro muito rico, e possuía muito gado, ovelhas, mas a verdade é que algumas das suas jumentas se perderam, se afastaram do seu redil, do seu pasto, e seu pai ficou tremendamente preocupado, e é neste momento em que ele chama Saul, que era um rapaz tremendamente formoso conforme a Bíblia diz, e lhe dá esta MISSÃO, missão esta de ir ao encontro de suas jumentas e resgata-las.

Mas a verdade é que Saul, sem saber o que veria pela frente, ele obedece a seu pai, e saiu em busca das jumentas perdidas, extraviadas da eira de QUIS. 

Este foi o primeiro passo para ele ser abençoado por Deus.

Mas a verdade é que naquele momento ele estava reto diante de Deus,  e Deus se agradava dele, mas se Saul não tivesse obedecido seu pai, e tivesse sido um filho rebelde ele não teria encontrado ao profeta Samuel, e consequentemente não teria sido escolhido como primeiro Rei para a nação Israel.
Após muito tempo de procura e nada  de encontrar as jumentas, o seu companheiro lhe aconselha, dizendo que tem um profeta na cidade chamado Samuel, que poderia ajuda-los..., homem de Deus honrado, e tudo que ele fala acontece...
O profeta de Deus era uma autoridade muito respeitável naquela época, e auxiliava no governo da nação  e nas questões política....
Ao encontrarem – se com o profeta Samuel o profeta disse  para ele não se preocupar com as jumentas.
 

Deus tinha algo mais importante para Saul.

Não te ocupes o teu coração com as jumentas (...), foi isto que o profeta disse a Saul.
As jumentas neste contexto é algo insignificante, irrelevante.  Precisamos estar atento, pois Deus tem suas formas de nos CHAMAR e de nos conduzir ao centro de Sua vontade.
Em um século conturbado como o nosso, cheio de tantas propostas ao homem e a mulher, tantos ataques espirituais, psicológicos lançados na mente humana por intermédio da televisão, da internet, jornais, revistas, todo tipo de propaganda e marketing, e muitas outras que vão surgindo em nosso século, vemos a deturpação do CHAMADO

Por mais que estejamos em um século de modernidades que surgem em frações de segundos, não podemos deixar de entender que o chamado de Deus ao homem é desde a antiguidade, ou seja, o chamado é antigo, mas  vem sempre atravessando os séculos em busca de homens e mulheres que amem sua obra, que estejam dispostos a renunciar a si mesmo e a todas as propostas deste mundo para se empenharem em sua tão preciosa obra, e ao favor de um reino eterno.  Procure compreender a forma que Deus esta lhe chamando, pois uma coisa precisamos entender, somos chamados em uma época em que o pecado chega a seu extremo, uma época em que o mundo esta totalmente mergulhado no pecado, em uma época de profunda corrupção sacerdotal, uma época em que o mundo esta dominado pelo capitalismo selvagem, e empurrando a igreja para o fundo deste sistema econômico, onde as pessoas perdem o nome e ganham um numero. Uma época em que as pessoas perdem seus valores morais, e passam a valer apenas o que ele pode ofertar ao mercado capitalista.

O Senhor Deus escolheu a Saul por que ele possuía qualidades que serviriam para governar sobre Israel.  Foi o povo que escolheu o governo monárquico, mas foi Deus que escolheu o rei.  Obediência e humildade eram qualidades bem visíveis na vida de Saul naquele primeiro momento. Isto você constata na leitura dos versículos que seguem no capitulo base que utilizamos no início do desenvolvimento deste trabalho

Em um cenário como o do nosso século, a preocupação é: como ter certeza de nosso chamado, como ter um chamado onde a duvida é inexistente, como ter um chamado permanente?

Para respondermos estas perguntas, precisamos compreender que um CHAMADO de Deus ao homem é acompanhado de SINAIS.  São os sinais e nossas experiências particulares com o Senhor Jesus que nos faz ficarmos firmes e não desfalecermos no decorrer de nossa caminhada.

Um ministério com sinais é o que os homens de Deus não devem abrir mão.

 

Os Sinais

O chamado de Saul é confirmado com sinais que o profeta Samuel anuncia a ele.  Estes sinais foram ocorrendo de acordo com a caminhada de Saul até sua oficialização com rei de Israel.

Vejamos a seguir a baixo o texto bíblico que confirma estes sinais.

10º capítulo do livro 1 Samuel.

Saul ungido por Samuel

1 Então Samuel tomou um vaso de azeite, e o derramou sobre a cabeça de Saul, e o beijou, e disse: Porventura não te ungiu o Senhor para ser príncipe sobre a sua herança?

2 Quando te apartares hoje de mim, encontrarás dois homens junto ao sepulcro de Raquel, no termo de Benjamim, em Zelza, os quais te dirão: Acharam-se as jumentas que foste buscar, e eis que já o teu pai deixou de pensar nas jumentas, e anda aflito por causa de ti, dizendo: Que farei eu por meu filho?

3 Então dali passarás mais adiante, e chegarás ao carvalho de Tabor; ali te encontrarão três homens, que vão subindo a Deus, a Betel, levando um três cabritos, outro três formas de pão, e o outro um odre de vinho.

4 Eles te saudarão, e te darão dois pães, que receberás das mãos deles.

5 Depois chegarás ao outeiro de Deus, onde está a guarnição dos filisteus; ao entrares ali na cidade, encontrarás um grupo de profetas descendo do alto, precedido de saltérios, tambores, flautas e harpas, e eles profetizando.

6 E o Espírito do Senhor se apoderará de ti, e profetizarás com eles, e serás transformado em outro homem.

7 Quando estes sinais te vierem, faze o que achar a tua mão para fazer, pois Deus é contigo.

                           
.
Nos versículos acima, vemos os sinais anunciados e que realmente aconteceram com Saul.

Como começar e como terminar nosso ministério

Precisamos compreender algo que é de suma importância aos que são CHAMADOS pelo Senhor Jesus, que, o mais importante não é como iremos começar, e sim, como iremos terminar. Com isto, não estamos dizendo que se deva ou que se pode começar de qualquer maneira, mas estamos dizendo que todo começo é passivo de erros decorrentes da nossa imaturidade ministerial e até mesmo moral.  Mas o que devemos compreender, é que em determinado momento de nossa vida como obreiros (as) e lideranças, já não teremos o direito de errar, pois sobre nossos ombros repousará uma responsabilidade que exigirá de nós a certeza do acerto e do êxito de nossas atitudes.

Descrição: https://encrypted-tbn2.google.com/images?q=tbn:ANd9GcTTvNdiFuVycmRYKIBgXL_rDUSTdHtRj2o-WoNPdJeFZ3Y-AawLtAAtentemos para algo que o mortal mais excelente do cristianismo, o apostolo Paulo, falou próximo de sua morte :

 ...combati um bom combate, acabei a carreira e guardei a fé... (II Tm 4:7)

O APOSTOLO PAULO foi um verdadeiro exemplo de começo, meio e fim.  Seu chamado e seu ministério deve ser estudo a finco por todos os obreiros da atualidade. Pesquisa-lo, trará a você, um aprimoramento em seu ministério.

 

Saul – exemplo de um bom começo e de um péssimo término

“A voz do povo não é a voz de Deus”

No caso de Saul, ele começou muito bem, mas ao decorrer dos tempos, ele confundiu autoridade, com autoritarismo. Perdeu a direção de Deus, deixou que o pecado entrasse em seu coração e suas praticas passaram a desagradar a Deus.

Vejamos a seguir, um texto bíblico que nos mostrará com mais clareza as atitudes de Saul e a rejeição de Deus para com ele.

1 Samuel 15

1 Disse Samuel a Saul: Enviou-me o Senhor a ungir-te rei sobre o seu povo, sobre Israel; ouve, pois, agora as palavras do Senhor.

2 Assim diz o Senhor dos exércitos: Castigarei a Amaleque por aquilo que fez a Israel quando se lhe opôs no caminho, ae subir ele do Egito.

3 Vai, pois, agora e fere a Amaleque, e o destrói totalmente com tudo o que tiver; não o poupes, porém matarás homens e mulheres, meninos e crianças de peito, bois e ovelhas, camelos e jumentos.

4 Então Saul convocou o povo, e os contou em Telaim, duzentos mil homens de infantaria, e mais dez mil dos de Judá.

5 Chegando, pois, Saul à cidade de Amaleque, pôs uma emboscada no vale.

6 E disse Saul aos queneus: Ide, retirai-vos, saí do meio dos amalequitas, para que eu não vos destrua juntamente com eles; porque vós usastes de misericórdia com todos os filhos de Israel, quando subiram do Egito. Retiraram-se, pois, os queneus do meio dos amalequitas.

7 Depois Saul feriu os amalequitas desde Havilá até chegar a Sur, que está defronte do Egito.

8 E tomou vivo a Agague, rei dos amalequitas, porém a todo o povo destruiu ao fio da espada.

9 Mas Saul e o povo pouparam a Agague, como também ao melhor das ovelhas, dos bois, e dos animais engordados, e aos cordeiros, e a tudo o que era bom, e não os quiseram destruir totalmente; porém a tudo o que era vil e desprezível destruíram totalmente.

10 Então veio a palavra do Senhor a Samuel, dizendo:

11 Arrependo-me de haver posto a Saul como rei; porquanto deixou de me seguir, e não cumpriu as minhas palavras. Então Samuel se contristou, e clamou ao Senhor a noite toda.

12 E Samuel madrugou para encontrar-se com Saul pela manhã; e foi dito a Samuel: Já chegou Saul ao Carmelo, e eis que levantou para si numa coluna e, voltando, passou e desceu a Gilgal.

13 Veio, pois, Samuel ter com Saul, e Saul lhe disse: Bendito sejas do Senhor; já cumpri a palavra do Senhor.

14 Então perguntou Samuel: Que quer dizer, pois, este balido de ovelhas que chega aos meus ouvidos, e o mugido de bois que ouço?

15 Ao que respondeu Saul: De Amaleque os trouxeram, porque o povo guardou o melhor das ovelhas e dos bois, para os oferecer ao Senhor teu Deus; o resto, porém, destruímo-lo totalmente.

16 Então disse Samuel a Saul: Espera, e te declararei o que o Senhor me disse esta noite. Respondeu-lhe Saul: Fala.

17 Prosseguiu, pois, Samuel: Embora pequeno aos teus próprios olhos, porventura não foste feito o cabeça das tribos de Israel? O Senhor te ungiu rei sobre Israel;

18 e bem assim te enviou o Senhor a este caminho, e disse: Vai, e destrói totalmente a estes pecadores, os amalequitas, e peleja contra eles, até que sejam aniquilados.

19 Por que, pois, não deste ouvidos à voz do Senhor, antes te lançaste ao despojo, e fizeste o que era mau aos olhos do Senhor?

20 Então respondeu Saul a Samuel: Pelo contrário, dei ouvidos à voz do Senhor, e caminhei no caminho pelo qual o Senhor me enviou, e trouxe a Agague, rei de Amaleque, e aos amalequitas destruí totalmente;

21 mas o povo tomou do despojo ovelhas e bois, o melhor do anátema, para o sacrificar ao Senhor teu Deus em Gilgal.

22 Samuel, porém, disse: Tem, porventura, o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à voz do Senhor?  Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, do que a gordura de carneiros

23 Porque a rebelião é como o pecado de adivinhação, e a obstinação é como a iniquidade de idolatria. Porquanto rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou, a ti, para que não sejas rei.

24 Então disse Saul a Samuel: Pequei, porquanto transgredi a ordem do Senhor e as tuas palavras; porque temi ao povo, e dei ouvidos a sua voz.

25 Agora, pois, perdoa o meu pecado, e volta comigo, para que eu adore ao Senhor.

26 Samuel, porém disse a Saul: Não voltarei contigo; porquanto rejeitaste a palavra do Senhor, e o Senhor te rejeitou a ti, para que não sejas rei sobre Israel:

27 E, virando-se Samuel para se ir, Saul pegou-lhe pela orla da capa, a qual se rasgou.

28 Então Samuel lhe disse: O Senhor rasgou de ti hoje o reino de Israel, e o deu a um teu próximo, que é melhor do que tu.

29 Também aquele que é a Força de Israel não mente nem se arrepende, por quanto não é homem para que se arrependa...

 

Nestes versículos bíblicos podemos ver os vários erros que cometeu Saul.

Mas um dos erros que mais me chamou a atenção foi o estampado no versículo de numero 24 que diz: “...temi ao povo e dei lhes ouvido...”

Um obreiro (a), uma liderança instituída pelo Senhor Jesus, deve ser cautelosa na questão de ouvir o povo. Pois a voz do povo NÃO É A VOZ DE DEUS.

Devemos compreender que fomos chamados pelo Senhor Jesus para administrar sobre o povo.  Mas administrar de acordo e extremamente com a vontade e na direção do Senhor Jesus.  Uma liderança que se permite ser conduzido pela vontade e desejos do povo deve saber que esta perdendo a direção de Jesus em sua vida ministerial.

A perca da direção do Senhor Jesus no tocante a sua obra, tem sido visível e infelizmente costumeiro em nossos dias.  São muitas as igrejas que estão sofrendo por causa de lideranças segundo o coração do povo; lideranças que se preocupam em satisfazer o povo, devido aos benefícios que isto os trás; e deixam de serem conduzidos por Jesus que é o eterno dono da obra.

Sendo assim, podemos concluir que muitos lideres eclesiásticos estão ocupando posições sustentadas por decisões do povo, por credibilidade humana, por sustentação humana; mas, são lideranças que já foram rejeitadas por Deus.

Você precisa compreender que o mesmo profeta que Deus usou para ungir Saul a rei, foi o mesmo que Deus usou para destitui-lo de seu reinado. Isto deve fazer – nos ciente, que isto pode ocorrer com lideranças que hoje estão em evidências, isto pode ocorrer com pastores, evangelistas, presbíteros,  diáconos (as), cooperadores (as), ou, e qualquer outra liderança que esteja atuante em algum departamento da igreja ou do ministério.

Descrição: https://encrypted-tbn1.google.com/images?q=tbn:ANd9GcTkicsaNvPeQOsfhWU9e7ZF7gLkNr-Q2GSAaWN22B81bwVSO0jsMQ     É necessário compreender que Deus usa seus servos para atribuir funções ministeriais aos membros, mas os pode usa – los  também para destitui - los de suas funções. Se tal ação ocorrer, é importante estarmos cientes que isto é um direito dos lideres que estão acima de nós hierarquicamente.

Os obreiros (as) e as lideranças eclesiásticas formam o exercito terreno de Cristo.  Sendo assim, precisamos ter como pilares ético de nosso ministério, a disciplina e a hierarquia.     

As grandes lideranças instituídas por Deus para atuarem neste século, precisam formar discípulos segundo o coração de Deus. Discípulos que não venham se corromperem com as propostas do mundo.  Estes discípulos precisam estar cientes que irão assumir posições sérias diante da igreja do Senhor Jesus, e que iremos ter que dar conta delas perante ao Senhor absoluto da igreja. Igreja que foi comprada, lavada e remida pelo sangue de Jesus na cruz do calvário.  Sendo assim, devemos compreender que não somos chamados para gozarmos de um status diante da igreja e da sociedade, mas sim de uma responsabilidade séria e comprometedora.

Um chamado de Deus para nossa vida, não deve ser confundido com um convite á estrelar em um mundo que jaz no maligno. Muitos estão confundindo o CHAMADO de Deus, com status, com autoritarismo, estrelismo, mordomia, enriquecimento material, regalias, e outros satisfatórios a nossa carne.

O CHAMADO é algo divino, e o chamamento de Deus ao homem, é para que ele sirva aos escolhidos, é para que sirvamos a igreja de Jesus nesta terra pecaminosa, e em uma época de inversões de valores que leva a uma extrema confusão, que vem massacrando o ser humano na questão do que é realmente servir ao Senhor Jesus.

Este é um século onde os obreiros e lideranças eclesiásticas devem estar capacitadas e buscando o aprimoramento ministerial. Pois nosso adversário vem atacando astutamente e trazendo confusões teológicas e ministeriais entre os ministérios.

As influências do CAPITALISMO SELVAGEM dentro das igrejas influenciaram – na há uma metamorfose moral.  Novos modelos de igrejas nasceram com esta metamorfose e com isto um novo conceito a cerca do que é ser crente.

Estamos em uma época que devemos buscar em Deus e em sua Palavra a forma de sermos obreiros (as )aprovados (as) em toda a maneira de viver, e de como conduzir Sua igreja.

 

Obreiros como representantes da igreja e dos membros em meio a sociedade 

Os obreiros (as) assumem outra responsabilidade com a igreja e seus membros, que é, os representar em meio a sociedade. A sociedade estará avaliando a igreja por intermédio de seus representantes. Isto é muito sério, pois você estará levando outros a serem avaliados por sua conduta. Além disto, a própria igreja será avaliada por seu intermédio. Sendo assim, cuidado com:

ü  as palavras (lembrando que nós daremos contas de nossas palavras);

ü  os negócios de cunho social e financeiros (honestidade em tudo e sempre);

ü  seu comportamento (procure ter um comportamento ético);

ü  as roupas que você utiliza (devem ser apropriadas para o momento);

ü  o corte de cabelo (isto cabe muito aos homens);

ü  as amizades (provérbio popular: diga me com quem tu andas e direi quem tu és...)

Procure agir como o Sal da Terra e a Luz do Mundo.

 

Filme evangélico indicado: Faça o que eu digo, e não faça o que eu faço.

Pesquisa bíblica indicada:  A vida de Saul.

 

O DESAFIO DOS NOVOS OBREIROS E LIDERANÇAS DA IGREJA CONTEMPORÂNEA

            Os novos obreiros e lideranças da igreja atual, deve compreender que, por estarmos em um século de modernizações, precisamos ampliar nossos conhecimentos em relação a quase tudo. 

Em Defesa da Fé, da Igreja Organizacional, da São Doutrina e da Palavra de Deus, os novos obreiros e lideranças devem buscar conhecimentos que venham capacita – los (as) a administrar com segurança, discursar com propriedades e argumentos lógicos.  A modernidade trouxe benefícios em todas as áreas da vida humana, como por exemplo, o avanço da medicina, a tecnologia, internet, mídia em todos os aspectos e muitos outros.

A modernidade trouxe também benefícios a igreja; mas toda espécie de modernidade traz determinados pontos prejudiciais aos seres humanos e para as organizações de um modo geral. Nos subtítulos que abordaremos abaixo, estaremos desenvolvendo pontos que mostrarão aos obreiros e lideranças desafios a serem enfrentados todos os dias e que merecem total atenção e preocupação por parte destes.

 

O desafio do neo pentecostalismo e as igrejas reformadas


Alderi Souza de Matos


Introdução


O objetivo deste estudo é refletir sobre um fenômeno recente e controvertido do cenário religioso do Brasil que é o movimento neopentecostal. Esse movimento é importante por causa do grande impacto que tem causado e pela visibilidade que tem adquirido nos últimos anos na sociedade brasileira. Os métodos arrojados e agressivos da Igreja Universal do Reino de Deus, o estilo de vida sofisticado do casal que dirige a Igreja Renascer em Cristo, os onipresentes programas de televisão das igrejas neopentecostais, os testemunhos de fé de artistas, atletas e outras celebridades, tudo isso e muito mais tem contribuído para tornar esse movimento conhecido e discutido.

                                                   
O impacto do neopentecostalismo tem sido particularmente sentido pelas igrejas evangélicas do Brasil. O protestantismo brasileiro não é mais o mesmo desde que surgiu o novo movimento. Esse impacto tem sido experimentado de duas maneiras: primeiramente, muitas igrejas, sejam elas históricas ou pentecostais, têm perdido membros para o neopentecostalismo; em segundo lugar, essas igrejas, especialmente as históricas ou tradicionais, tem sido influenciadas em sua teologia, liturgia e organização pelas práticas neopentecostais. O “sucesso” do novo movimento tem sido especialmente cativante para os líderes de muitas igrejas, levando-os a acreditar que, se adotarem os mesmos métodos e ênfases, suas igrejas também irão obter o tão sonhado crescimento.

 

Os obreiros e lideranças da igreja da atualidade deverão estar prontos para enfrentarem estes novos movimentos, manterem suas igrejas dentro das bases bíblicas, continuarem ganhando almas para Jesus de uma forma lógica e conservadora no tocante aos princípios bíblicos.

Um outro desafio dentro deste assunto, é os novos obreiros não se permitirem serem envolvidos pelo status que estes movimentos podem proporcionar as lideranças da igreja na atualidade.  Estes movimentos proporcionam aos que aderem aos seus “sistemas de administração eclesiástica”, uma vida e um ministério de luxos e status.  Por mais que sejamos lideranças com uma vida de oração e busca continua pela direção do Espirito Santo, não podemos nos esquecer que somos seres humanos sujeitos a estas tentações e fragilidades carnais.

Neste sub titulo, abordamos um pequeno e simples desafio, mas que tem destruído muitas lideranças da igreja atual e, deturpado a mente de milhares de seres humanos concernentes a verdade do cristianismo.

Nos sub títulos a seguir, trataremos de outros desafios aos novos obreiros e lideranças comprometidas com o Senhor Jesus.

 

 

Conhecimentos e interpretações teológicas que não trazem danos a espiritualidade.

 

Procura apresentar-te diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. 
2 Timóteo 2:15 Descrição: C:\Users\Juliane\Pictures\Biblia - CFOL.jpg

 

Em todo o tempo, sempre foi necessários obreiros e lideranças capacitadas e instruídas nas questões teológicas.  Mas hoje, mas do que nunca. Estamos vivendo uma época de extrema necessidade de lideranças com conhecimentos teológicos e com a sabedoria divina para a interpretação sadia e com a unção de Deus para transmitir a verdadeira e pura palavra de Deus.

Devido o avanço da humanidade, surgem vários conflitos espirituais nos seres humanos. Estes conflitos os levam a uma procura maior pela paz de espirito. As influências e as agressividades do capitalismo selvagem mundial, faz com que os seres humanos percam seus valores como pessoas, e passam a valer o que possuem. Estamos em uma época da extrema valorização do TER e não do SER.

Todos estes conflitos levam às pessoas a busca de uma paz que somente pode ser proporcionada através da palavra de Deus.  Todavia, alguns lideres eclesiásticos, com interpretações equivocadas da bíblia sagrada, com uma teologia carnal e capitalista, estão levando as pessoas a acreditarem em uma negociação financeira com o Senhor Jesus, em troca de Paz terrena e de uma suposta salvação.

Estes acontecimentos são molas propulsoras para uma mudança imediata de obreiros (as) e lideres cristãos com responsabilidades com a verdade.  Com isto, surgi uma necessidade de que os CHAMADOS se empenhem mais nas questões de todos os tipos de conhecimentos: teológicos – sociológicos – filosóficos – antropológicos – economia – politica – história – direito – atualidades e muito mais.  Todos estes conhecimentos trarão aos obreiros (as) um maior entendimento a cerca dos grandes conflitos vivenciados na atualidade pelos seres humanos.  Também facilitará na pregação da palavra de Deus; pois com conhecimentos básicos nestes assuntos, o OBREIRO (A) conseguirá atingir o alvo principal que são vidas para o Senhor Jesus.

Lembrando sempre que, estes conhecimentos não devem influenciar seus conceitos a cerca das verdades do Senhor Jesus.  Temos visto vários obreiros que se deixam levar se pelos conhecimentos seculares, a ponto de sofrerem modificações negativas em sua FÉ.

   Você precisa compreender que, sair em busca destes conhecimentos é um grande desafio para os obreiros (as) e lideranças da igreja da atualidade. Pois uma interpretação errônea da palavra de Deus influenciada por estes conhecimentos poderão levar milhares ao inferno.

 

A internet e sua influência na igreja da atualidade. Um desafio aos obreiros (as) e lideranças.

 

No mundo atual, com o advento da INTERNET tudo tem mudado, as pessoas possuem acesso a absolutamente quase tudo. Informações das mais variadas estão na rede mundial. Sendo assim, uma mensagem bíblica pode viajar o mundo em fração de segundos após ser lançada na rede.

Quando algo é lançado na rede, isto será alvo de analise de todos quantos acessarem, com isto, ocorrera todos os tipos de criticas. As criticas poderão ocorrer de forma construtiva ou destrutivas, não importa, levando em consideração que critica sempre será critica.

A preocupação é, até que ponto nós obreiros (as) e lideranças estamos sendo avaliados por aqueles que nos ouvem em nossas igrejas, nas redes sociais?

Nossas mensagens bíblicas estão influenciando pessoas positivamente nas redes ?

Você que mantem redes sociais (Facebook – Orkut – MSN – Sites – Linkidin – flickr – twitter – You Tube e muitos outros) deve se preocupar em manter uma postura cristã correta e intocável.  Da mesma forma que as redes sociais são utilizadas para a propagação sadia do evangelho, a obreiros (as) postando heresias e assuntos que contradizem sua espiritualidade e sua alegação de que são cristãos.

Descrição: https://encrypted-tbn0.google.com/images?q=tbn:ANd9GcT4MMPE3x3yvya_fpoJ_SWj9tdWgJeGaeAEsLeVX4BB8UZ6tF-E_QSatanás nosso adversário utiliza da modernidade para escandalizar, difamar, destruir, e até mesmo acabar com igrejas inteiras. Quando digo  acabar com igrejas e grupos cristãos, não me refiro ao fechamento da igreja ou do grupo, me refiro a estarem de pé fisicamente, mas caídos espiritualmente.

 

 [ Estaremos assistindo um vídeo que nos dará uma pequena ideia da atuação maligna utilizando se da rede mundial ]

 

Vídeo:  http://youtu.be/q4ltUVklbHw

 

 Este vídeo lhe mostrará o que vem acontecendo no mundo evangélico por intermédio de obreiros que por influências do capitalismo selvagem, agem de forma enganosa com o intuito de status, poder, dinheiros, fama e se esquecem de que os que usam de engano não permanecerão na casa do Senhor Jesus!

Conhecer os benefícios e os malefícios da internet, também cabe as novas lideranças e obreiros (as) da atualidade. Pois hoje, nossos jovens, adolescentes, juniores, crianças e até mesmo os mais velhos, estão sendo extremamente influenciados pela rede mundial.  Até mesmo a igreja esta sendo influenciada por ela.  Embora ela traga benefícios importantes a igreja, ao mesmo tempo satanás, se utiliza dela para se propagar entre os povos do mundo inteiro.  Sendo assim, nossas lideranças devem obter pelo menos os conhecimentos básicos da internet, para poder alertar sua igreja e seus liderados acerca das artimanhas do adversário através da rede mundial.

Ser obreiro (a) no mundo atual requer um compromisso sério, pois somos CHAMADOS pelo Senhor Jesus para conduzirmos seu rebanho o qual teremos que dar conta.

 

 

Os programas de televisão e suas influencias negativas na igreja contemporânea.

 

 A televisão, ainda é a mídia mais acessada em todo o mundo, por este motivo, encontramos os mais destrutivos programas a moral, a família, a cidadania, ao cristianismo e outros.

Vemos os mais aparentes e inofensivos programas infantis tentando deturpar a mente e a inocência de nossas crianças. 

Os obreiros (as) e a lideranças possuem mais este velho e atual desafio. Precisamos buscar conhecer as mais diversas formas de ataques contra a igreja do Senhor Jesus, por este motivo, é que precisamos estar atentos e buscando conhecimentos em todo o tempo para que possamos estar sempre prontos a defesa da FÉ CRISTÃ.

As crianças são as maiores vitimas da televisão. Sendo assim, precisamos compreender que estes ataques satânicos as crianças, nada mais é, que um ataque a IGREJA PRESENTE E DO FUTURO. Pois destruindo as crianças agora, será criado um mundo de adultos destruídos e vulneráveis espiritualmente.

 

O imaginário infantil

A criança é dependente de estimulação e precisa da excitação amorosa desde o primeiro dia de vida. As habilidades que o cérebro de uma pessoa pode desenvolver dependem das experiências que ela teve nos primeiros três anos de vida.

A criança é jogada nessa roda-viva de emoções, sem preparo, introduzida ao nosso mundo de imagens multifacetadas, existências diversas e fantasias surreais. Aos poucos ela vai abrindo os olhos para este novo estado de coisas que vão aparecendo na tela de sua vida, compondo um cenário fantástico e incompreensível, moldando um sem fim de fantasias que aos poucos vão se firmando em sua mente, e moldando o seu novo universo pelo qual ela irá participar como atora e autora até a sua maior transformação como ser natural.

O imaginário é parte inseparável de nossa existência. Faz parte do nosso cotidiano, e é por isso que se diz que o homem é um ser simbólico.

Toda criança sente uma atração para teatralizar, pois tem inata a tendência de representar, onde em suas brincadeiras está sempre dramatizando, fazendo teatro, imitando em seu mundo – miniatura. A dramatização é uma atividade criadora que envolve todos os tipos de expressão (oral, corporal, plástica, musical) e é, por isso mesmo, riquíssima. A partir das histórias lidas, a criança observa, modifica, acrescenta, transpõe para o plano pessoal, fantasiado, inventando, para então reproduzir, exprimindo-se. E é aí que mora o perigo!

Com essa predisposição natural ao lúdico, a criança em sua inocência absorve imagens e situações, processando-as com o objetivo de torná-las alegres e divertidas, criando o brincar na sua mais primitiva e pura forma de manifestar a alegria e satisfazer a necessidade de descarregar toda a energia que o seu corpo começa a gerar. Entendemos então o motivo pelo qual tantas crianças acham a arma de seus pais e acabam por matar seus irmãos(a), tudo não passa de brincadeira para elas.


Traumas infantis

Segundo Alice Miller, Ph.D, sempre foi inconcebível a ideia de que uma criança que vem ao mundo e está atenta e amando aqueles que cuidam dela, venha a se tornar depois um monstro. Então, examinando as histórias das infâncias de assassinos, especialmente os assassinos de massa, e ditadores, eu comecei a compreender onde se situavam as raízes do bem e do mal: elas não estavam nos genes como geralmente se quer acreditar, mas na relação da criança com os pais nos períodos iniciais da sua vida. Hoje as pesquisas neurobiológicas parecem confirmar o que eu descobri há vinte anos atrás.

O conhecimento de que, a violência na infância produz, adultos doentes e cruéis, é um fato cientificamente provado e aceito oficialmente pela Academia Americana de Pediatria em 1998. Ao contrário do senso comum prevalecente há quinze anos atrás, o cérebro humano no período do nascimento está longe de estar completamente desenvolvido.

Pessoas que foram vitimas num dado momento da infância podem, em situações futuras, assumir o papel ativo. Deste modo o medo pode realmente ser evitado ainda que momentaneamente – mas não a longo prazo, porque as emoções reprimidas não podem ser mudadas a não ser que se tornem conhecidas. Elas só podem ser transformadas em ódio dirigido contra o próprio indivíduo ou contra os bodes expiatórios, como por exemplo, seus filhos ou inimigos imaginados. Eu vejo este ódio como uma consequência provável de uma antiga raiva e do desespero, mas, nunca como um sentimento conscientemente. É algo que se acumulou no corpo, no cérebro límbico.

As lições que a criança aprendeu nos primeiros três anos não podem ser expurgadas, eliminadas ou ficarem inativas. Se o corpo de uma criança aprende a violência (física ou moral) desde o nascimento, se aprende que atormentar e castigar uma criatura inocente são a coisa certa a fazer, e que o sofrimento da criança não deve ser reconhecido e considerado, e que mensagem da violência é mais forte que conhecimento intelectual que ela vai adquirir numa fase posterior, ela então não terá nenhum outro conhecimento para funcionar de forma diferente.

Ao invés ele vai dar conselhos destrutivos até o dia de sua morte e continuara a ignorar que sua criança interna ainda sofre com as dores, porque a visão que eles têm da realidade é severamente distorcida por lembranças inconscientes do inicio da vida. Por outro lado, uma criança protegida, amada e que foi admirada desde o inicio prosperará na vida porque a partir de sua experiência poderá desenvolver empatia para com o mundo e para com as pessoas que estão nesse mundo.

Mario Quilici, psicanalista, é um pesquisador independente e ativo do desenvolvimento infantil e de como os distúrbios do vínculo entre os Bebês e seus pais podem levar ao surgimento de psicopatologias na medida que impedem um adequado desenvolvimento emocional e consequentemente da personalidade. Também pesquisador e estudioso nas áreas de neuropsicologia e psiconeuroimunologia.

 

 

A mídia

Descrição: C:\Documents and Settings\Administrador\Meus documentos\Downloads\images (2).jpgOs meios de comunicação, popularizados aqui no Brasil pela palavra “mídia”, hoje é uma coisa complexa profunda e sutil que permeia a nossa vida. Utilizando-se dos mais eficientes e incisivos instrumentos, jamais conhecidos, de nossa sociedade, hoje praticamente bombardeada a todo instante, com elementos que possam interferir em nosso imaginário singular e pessoal, dimensionando-o para uma vida permeada de símbolos e ações que sedimentarão a nossa “personalidade” junto ao processo civilizatório no qual estaremos inseridos até o fim de nossas vidas.

As dificuldades que existem para que a educação infantil se processe dentro do seu contexto familiar e social controlado, faz com que as pessoas, busquem alternativas e facilitadores, que deliberadamente lhes são colocados à mão como paliativos imediatos, que logo se tornam soluções inquestionáveis e acabam por determinar o rumo das coisas por definitivo.

O imaginário infantil numa sociedade dependente da mídia, está sujeito a manipulações que transformam os seus estágios naturais de formação e crescimento e os direciona para uma existência servil e utilitária, num interesse agressivo.

 


 

Televisão

Descrição: C:\Documents and Settings\Administrador\Meus documentos\Downloads\images (4).jpg Os aparelhos de Televisão estão, hoje no centro da vida doméstica, como meio de entretenimento e fonte de informação permanente para toda família; informam adultos e crianças sobre os mais diferentes aspectos do mundo que nos rodeia.

É sem sombra de dúvida, o meio de comunicação que mais intervém, diariamente, no sistema educacional e social; é um veículo indiscutível de expansão dos espaços de aprendizagem que a sociedade moderna oferece.

A criança é um ser estético por natureza, mas é através da ampliação da percepção visual que se possibilita a ela encontrar outras experiências de cunho estético. Quando a imagem invade olhar da criança, estabelece-se uma qualidade de experiência que influirá em seu relacionamento com a televisualidade. Assim, destila o olhar e prepara a criança para a interpretação de conteúdos não-verbais, envolvendo-a por colocá-la diante de uma representação mais complexa e mais apurada, enquanto a experiência estética pode impulsioná-la para a interpretação de imagens visuais. Em vista disso, a criança é capaz de significar a imagem televisual por que:

  • As imagens povoam o mundo e envolvem o ambiente infantil;
  • A imagem que está mais próxima da criança é a da televisualidade;

A televisão é o principal fator de retardamento intelectual e afetivo do mundo contemporâneo. André lwoff-prêmio nobel de medicina.

A televisão como representante máxima da “mídia”, tantas vezes aparece como principal alternativa em substituição aos pais, de uma criança. Se analisarmos as condições em que estamos vivendo, chegaremos a conclusão que muito pouco é feito para que esta situação se modifique. Quem já usou a tv para “calar a boca” de uma criança?

 

 

Citando exemplos negativos e influencias satânicas em programas infantis:

 

A influência erótica sobre crianças e adolescentes:

“Crianças de 6 a 10 anos…encontram-se na fase que, em Psicanálise, é chamada de latência (ou seja, período de reorganização e preparo para puberdade), A estimulação e a exposição precoce ao erotismo leva a criança a passar pela latência sem elaboração e organização. Na prática clínica, especialmente, temos visto consequências negativas dessa inadequação dos programas oferecidos às crianças.” Relatório do Núcleo de Estudos Psicológicos – Unicamp – 1993

Os programas infantis, que frequentemente mostram dançarinas seminuas, apresentadoras sensuais, entrevistas maliciosas e piadas picantes, geralmente relacionadas à sexo, induzem as crianças à imitação e terem um comportamento semelhante. “…É preciso também ficar atento quando sua filha começa a se identificar com Xuxa, Angélica ou outros ídolos criados pela televisão…A menina que traça esse tipo de programa como padrão de comportamento está desenvolvendo um desejo sexual de uma garota de 16 anos. Ela já sabe o que é uma relação sexual ou um beijo na boca. O que os pais têm de fazer é questionar essas fixações e oferecer outros modelos”. (Carlos M.Alvarez, professor e psicanalista que estuda o tema há 8 anos)


Programas infantis:

 

XUXA

A Influência da violência e erotismo na TV:

Descrição: C:\Documents and Settings\Administrador\Meus documentos\Downloads\images (5).jpgQuem já ouviu falar em “XOU DA XUXA” ? Ou melhor, quem já quis ser paquita ou até mesmo fazer parte do mundo encantado de Xuxa Meneguel?

Xuxa é apresentadora de programa infantil da rede globo de televisão, a alguns anos. Com suas roupas apertadas e sexy, sempre bem maquiada e usando acessórios com logotipo de sua marca “BIXO COMEU”, que foi febre durante algum tempo. A moça bonita que virou boneca era venerada pelo país, todos queriam ser parecidos com ela.

Será que podemos confiar o nosso futuro a uma pessoa que pratica pedofilia em um filme pornográfico, onde faz sexo com um criança de apenas dez anos. A rainha dos baixinhos como se intitulou Maria da Graça, acredita-se também que fez pacto e passou por um vasto campo satânico. Xuxa também fez filmes pornográficos, um deles com um menino de apenas 10 anos; mas esses “vídeos” não podem ser mais encontrados, pois Xuxa pagou ao governo para retirarem suas fitas das locadoras. Esse contrato foi até 2005.

 

 

A criança e a violência dos desenhos animados

A televisão exerce um papel importante na formação dos primeiros conceitos sobre a realidade e solidificação de valores da criança. O desenho animado, por sua vez, é o gênero preferido do publico infantil determinando, portanto, grande tempo de exposição a este tipo de programação.

Temos por objetivo analisar a influencia da violência dos desenhos no cotidiano infantil verificando seu modo de recepção por parte desse publico.

 

 

 

Os desenhos (muito) animados:

Nunca os Desenhos Animados ocuparam tanto o tempo e as mentes das crianças e dos adolescentes, quanto nestes últimos anos.

Listaremos a seguir os principais desenhos, de acordo com sua influência no subconsciente, fato que leva os pequenos e também os adolescentes ao consumo desenfreado, ao vício, e por que não, à violência?

 

[Ser um obreiro preparado para conduzir a igreja

exige uma vida de santificação, e de muita pesquisa...]

 

 

Caverna do dragão

Descrição: C:\Documents and Settings\Administrador\Meus documentos\Downloads\images (8).jpgDescrição: C:\Documents and Settings\Administrador\Meus documentos\Downloads\images (6).jpgDescrição: C:\Documents and Settings\Administrador\Meus documentos\Downloads\images (7).jpg

Um dos desenhos de  maior sucesso da TV brasileira. O desenho na verdade nasceu de um jogo de RPG, “Dungeons & Dragons”.

O FINAL DE “CAVERNA DO DRAGÃO” [EXTRAÍDO DA REVISTA HERÓI 2000] – Mestre dos magos é o Demo A história é tão sinistra que é difícil não se surpreender. Segundo o boato, o dragão Tiamat seria na verdade um anjo, enviado para dizer que os garotos nunca conseguiriam retornar ao seu mundo… porque eles estavam mortos! Após um acidente fatal na montanha-russa, Hank e seus amigos morreram e foram destinados a permanecer para sempre no inferno. Lá eles estariam sendo vítimas das maldades do Demônio, que aparecia ora na forma de Vingador, ora na forma de Mestre dos Magos. Para auxiliar seu trabalho, o Coisa-ruim tinha a ajuda de Uni, que sempre impedia as crianças de retornar para a Terra.

Descrição: C:\Documents and Settings\Administrador\Meus documentos\Downloads\images (2).jpg

 

Dragon ball

 

Animação japonesa, com muita pancadaria e esquisitices, cuja temática são as Artes Marciais, já virou febre, não só entre as crianças, mas também entre os adolescentes. O desenho é o mais assistido atualmente da TV paga (Cartoon Network), com audiência média de 9 pontos (lembrando que cada ponto, equivale a 80 mil telespectadores). O desenho estreou no Japão (pra variar…) em 1986 e levou 10 anos para desenrolar-se em três fases: – Dragon Ball, Dragon Balll Z e Dragon Ball GT. O desenho, que também faz sucesso na TV aberta, em sua trama mirabolante, mistura alienígenas, dragões e uma dose de simbologia ocultista. O personagem principal é Goku, um garoto que sai pelo mundo em busca de 7 esferas de cristal que, quando juntas, invocam um dragão (Shen-lon) que satisfará seus desejos. A história tem também um Mestre (este não podia faltar) que o fará um grande lutador, de quebra, um demônio chamado Piccolo. A febre também atingiu as histórias em quadrinhos e, 130 mil revistas já são vendidas mensalmente, sem falar, é claro, dos games, brinquedos e outras quinquilharias com o personagem. Pode-se observar também, a inserção subliminar do número 666, também conhecido como ‘número da besta’, na porta do carro do personagem Mr. Satã. E quando Mr. Satã “salva” o mundo da ameaça de Majin Boo, todos na terra gritam SATÃ durante muitos minutos, como se estivessem invocando a Besta.

 

Pokémon

Descrição: C:\Documents and Settings\Administrador\Meus documentos\Downloads\images.jpgCriados pelo japonês Satoshi Tajiri, que,quando pequeno, além de criar insetos, tinha uma fixação:ser entomologista. Com seus sonhos frustrados devido à ocupação imobiliária de seu país, no final da década de 70 com a construção de grandes shoppings nas áreas de agricultura do arroz, Tajiri, criou os Pokémons na forma de lagartas, traças e caranguejos, espalhados por bosques e rios virtuais. Com a ajuda de um amigo, Pockémon virou um game em 1996, quando o projeto foi comprado pela Nintendo.(Revista Época-27/12/99). Dado o sucesso do jogo, logo se transformou em Desenho Animado e, em seguida, filme, ou melhor “O Filme” que, até o início de dezembro de 99, ou seja, com poucos meses de lançamento, já havia arrecadado US$ 80 milhões. Quanto às suas influências, visite as seções “Nos Games” e “Pokemon”.

 

YU-GI-OH!

Baseado em uma seita satânica, é uma febre mundial que se iniciou no Japão, e logo tomou o mundo, chegando com força total no Brasil, onde os animes já são quase tão cultuados quanto na terra-do-sol-nascente! A palavra que significa “rei do jogo” em japonês, começou como um mangá em 1996, e com o rápido sucesso, logo se transformou em Card Game (jogo de cartas), parecido com RPG e jogo para video games. Em 2000 surgiu a série em anime, sucesso de audiência absoluta em vários países do mundo. Tanto sucesso, só poderia render um longa metragem nos cinemas, a exemplo do que já aconteceu com a série Pokemon. Entre os responsáveis pelo projeto estão a Konami, 4Kids Entertaiment e Warner. A história de Yo-Gi-Oh, se baseia em um jogo de cartas, muito cultuado entre os adolescentes. Sua lenda começa a 5.000 anos atrás, quando os faraós do antigo Egito participavam de um misterioso jogo que envolvia grande e terrível magia. Tanto poder, eclodiu em uma guerra que ameaçou destruir o mundo inteiro, até que um valente faraó trancou o poder da magia em sete artefatos milenares. Aproveitando-se desta fantástica história, uma empresa nos tempos atuais, criou o famoso jogo de cartas, chamado “Monstros de Duelo”. Um dia, um menino chamado Yugi ganhou do avô, um misterioso quebra - cabeças que ninguém conseguia resolver. Ao resolver o enigma, o objeto que na verdade era um dos artefatos mágicos, passou a transformar o tímido Yugi em Yami Yugi (Yugi das Sombras), um forte e corajoso jogador de Monstros de Duelo. Em YO-GI-OH! – O FILME, um velho monstro enterrado nas profundezas das areias do Egito, despertou. Anúbis, que tinha sido derrotado pelo alter ego de Yugi – o Faraó – retornou para se vingar de Yugi e dominar o mundo! Agora Yugi e seus amigos tentarão derrotar seu inimigo mais poderoso, antes que o planeta desapareça nas areias do tempo.

 

A má influência dos jogos virtuais / vídeo games

  • Condicionamento de atitudes e movimentos;
  • Impossibilidade de distinguir o mundo virtual da realidade;
  • Adquirir atitudes favoráveis ao uso da violência;
  • Presumir que os outros também têm tais atitudes;
  • Insensibilidade;

 

O conhecimento básico destes desenhos, filmes e jogos devem ser também de preocupação de nossos obreiros (as) e lideranças, pois suas influencias estão impedindo que nossas crianças possuam um verdadeiro encontro com o Senhor Jesus. 

Estas também são armas satânicas utilizadas contra nossas crianças e contra nossas igrejas.

Muitas vezes enquanto os pastores e lideres de departamento infantis estão lutando para criar em nossas crianças um coração puro e santificado, os próprios pais por faltarem conhecimentos estão prejudicando a vida espiritual de seus filhos.

Tais assuntos devem ser abordados de forma inteligente dentro de nossas igrejas, as lideranças de departamento infantis precisam de formação básica para mostrarem isto aos pais e também as crianças.

São muitos os desafios que nós obreiros (as) e lideranças da igreja na atualidade temos, as responsabilidades são muitas.

 

Nossas responsabilidades não se limitam apenas em dirigir cultos, nosso campo de trabalho para o Senhor Jesus é muito vasto e sério. Sua obra deve ser levado a sério, pois Jesus esta voltando, e enquanto muitos lideres da igreja estão preocupados com assuntos não condizentes com a obra do Senhor Jesus, satanás não esta brincando.

IGREJA ORGANISMO VIVO

 

      A dois tipos de igreja, a “IGREJA ORGANISMO VIVO   e  a  IGREJA ORGANIZACIONAL”.

Nesta oportunidade, estaremos abordando a igreja como um ORGANISMO VIVO.

A humanidade vive, nos dias atuais, cercada com desafios de todos os tipos e tamanhos, mostrando a sua capacidade de encontrar a solução e de adaptação no contexto da vida.

Certamente a função Pastoral também está cercada de grandes desafios, pois a Igreja é possuidora das suas próprias necessidades, seja na sua estrutura organizacional, na delegação de poder, como também necessidade de ter um crescimento sadio; uma boa gestão Pastoral certamente conduzirá o rebanho de Deus a vencer, com a orientação Divina, os desafios dos dias atuais.

Há entre a maioria dos obreiros (as) e lideranças uma enorme confusão na questão da Igreja e da igreja. Nesta disciplina também veremos como deve ser a atuação do pastor como administrador nestas duas igrejas.

Textos: Mateus 16: 16-18 / 1 Timóteo 3: 15

A Igreja foi projetada e criada por Deus. É a Sua maneira de prover alimento espiritual para o crente e oferecer uma comunidade de fé através da qual o Evangelho é proclamado e a sua vontade progride a cada geração.

A Igreja existe como a concretização do Reino de Deus e não pode existir desvinculada deste reino. É na igreja que este reino tem o seu começo e sua concretização primária.

A Igreja não é o reino, mas ela é criatura ou veículo para a extensão do reinar de Deus.

Jesus assevera em Mateus 16: 18: “...Edificarei a minha Igreja”. Essa é a primeira entre as mais de 100 (cem) referências no Novo Testamento que empregam a palavra grega primária para “Igreja”, que é ekklesia, composta com a preposição ek (fora de) e o verbo kaleõ (Chamar). Logo, ekklesia denota originalmente um grupo de cidadãos chamados e reunidos, visando um propósito específico. Portanto, A igreja é a reunião dos que foram Chamados para Fora do pecado, Fora do mundo, Fora do inferno.

O termo ekklesia, de origem grega, pode vir a designar uma congregação local, uma denominação, uma causa, a igreja de caráter universal ou “invisível” ou até um prédio onde se reúne um grupo de adoradores.

Entretanto, a igreja não foi criada para proporcionar a reunião dos participantes do Reino de Deus, apenas, mas principalmente para cumprir a missão deixada por Jesus. Moody (D. L.) coloca que a missão pode ser resumida em três principais aspectos: “como martyria (testemunho), diakonia (serviço) e koinonia (comunhão)”. São estas as tarefas que servem de base para compreender e cumprir a missão da igreja.

Por “MISSÃO”, entendamos propósito da igreja no mundo. Esse é um termo de importância suprema para a igreja. “Não é a igreja que tem uma missão, mas é o inverso: a missão de Cristo criou a igreja...” (Moltmann em URETA, 189).

Mais do que deixar uma igreja, Jesus deixou uma tarefa a ser cumprida por seus discípulos. Sem missão, não há razão para a existência da igreja.

Voltando à colocação de Moody, dos três aspectos da missão, a questão do testemunho rege o enfoque central da aplicação. “O testemunho é a missão central da igreja em todas as situações”(MOODY, 429). Esse testemunho inclui o referente à pessoa e obra de Cristo, como também os demais aspectos da aplicação da mensagem de Cristo no âmbito completo do Seu ministério. Ele deve ser aplicado em parte através do serviço cristão como também no contexto da comunhão cristã. 

Em resumo, a missão da igreja é ser testemunha de Cristo, discipulando todas as nações (Mateus 28: 18).

Para cumprir sua missão, a igreja precisa compreender que ela é um organismo vivo, a acoplação dos santos, o povo de Deus na face da terra. Também precisamos, como cristãos, entender que nem todo membro da igreja local faz parte da Igreja organismo, e nem todo aquele que não faz parte de uma igreja local visível está fora da igreja organismo.

A igreja é muito mais do que uma congregação local e é muito mais do que uma estrutura e instituição. Usamos o retrato da igreja local como auxílio na visualização concreta das coisas. Toda a estrutura e organização elaborada podem ser benéficas, mas deve sempre ser associada ao propósito da igreja, missão que parte de sua verdadeira natureza. A Bíblia não estabelece um sistema organizacional para a igreja, nem contraria a sua elaboração. O que ela oferece é uma missão a ser cumprida.

Quando a igreja tem consciência de seu chamado e da missão que ela tem pra cumprir, bem como entende que ela é muito mais do que aquilo que pensa (muitas vezes); que marcha perseverante e constantemente em busca do cumprimento dessa missão, então, ”... As portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16: 18).

O conhecer as duas igrejas existentes é de uma relevância muita grande aos lideres da atualidade. Pois ignorar isto, é demonstrar descaso com a função que exerce.

Descrição: C:\Documents and Settings\Administrador\Meus documentos\Downloads\images (5).jpg(...) nem todo membro da igreja local faz parte da Igreja organismo, e nem todo aquele que não faz parte de uma igreja local visível (organizacional) está fora da igreja organismo.

 

 

 

Como obreiros (as) e lideranças de uma igreja que vive na atualidade, devemos ter esta compreensão.  Pois esta duvida tem pairado sobre muitos lideres, e ainda tem feito com que pregadores distorçam a palavra de Deus pela falta de compreensão.  Este é o século onde não será mais aceito determinados erros grotescos como este.  Para se liderar um povo não basta apenas ter vontade ou gostar, é necessário capacidade e busca constante de conhecimentos que favoreçam o crescimento do reino do Senhor Jesus !

 

 

Função pastoral na estrutura organizacional da igreja

 

Na estrutura organizacional é definida a pessoa do administrador, como administrar e como desenvolver o seu trabalho até mesmo envolvendo outras pessoas na estrutura.

A igreja é, simultaneamente, ORGANISMO e ORGANIZAÇÃO. O povo de Deus está organizado num tríplice aspecto, que são:

Aspecto Espiritual

Aspecto Social

Aspecto Econômico

Administrar a igreja do Senhor é distinguir-se como um autêntico líder.

 

ü  Pastor: O Administrador Eclesiástico

Para uma melhor compreensão da função pastoral, precisamos saber que administração eclesiástica é o estudo de diversos assuntos ligados ao trabalho do pastor, na sua função de liderar e de ser o principal administrador da igreja em que está servindo.

O administrador é um especialista na arte de trabalhar com pessoas. Sente-se vitorioso quando ajuda outras pessoas a fazer bem o seu trabalho. A administração perfeita está nos céus, porém sabemos que nenhuma igreja sobrevive sem uma administração organizada.

Não podemos jamais esquecer que a igreja é uma organização e um organismo. É um povo organizado espiritualmente, socialmente e economicamente.

 

ü  O Pastor como Administrador

Gerenciar a igreja de Deus é algo de grande responsabilidade, e administrar é:

Prever: É preparar-se para o futuro, com antecedência, com programas de ação. É predeterminar um curso de ação.

Organizar: Reunir meios e recursos materiais e humanos, distribuindo racionalmente e de uma maneira harmoniosa e funcionando como um todo.

Comandar: Determinando as providências, para que toda a organização venha funcionar da maneira correta e dentro das normas estabelecidas, tomando decisões, comunicando, motivando e ajudando as pessoas a melhorarem suas atividades e habilidades.

Coordenar: Mantendo o organismo em funcionamento homogêneo, proporcionando o perfeito equilíbrio do sistema operacional e do desenvolvimento. Assim, evita-se perda de tempo e complicações indesejáveis.

Organizar: avaliando, regularizando o trabalho em andamento e acabado. Estabelecendo padrões de execução e correção do desempenho.

 

ü  O Pastor como Capacitador

Administrar não é a capacidade de fazer muitas coisas e sim a “ciência de gerar um organismo”, é distribuir as responsabilidades e não “executar todas as tarefas”, fazendo com que todos participem do trabalho. Muitos líderes querem tratar pessoalmente dos detalhes mínimos da organização da igreja e se esquecem que o trabalho do administrador  é ajudar no crescimento das pessoas, capacitando-as para executar as tarefas e motivando outras pessoas para o trabalho.

         Os líderes de igrejas que crescem concentram seus esforços em capacitar outras pessoas para ministérios específicos. Líderes que capacitam seus liderados formam colaboradores, e não meros ajudantes. O líder que ajuda os cristãos de sua igreja a chegar a medida de plenitude intencionada por Deus para cada um, certamente é um líder capacitador, que apóia, motiva e acompanha os liderados na tarefa de servir a Deus.

 

ü  Evidências de um Autêntico Líder Cristão

Enquanto administra a igreja do Senhor, o obreiro cristão deve se distinguir como um autêntico líder; para tanto, deve ter em mente o seguinte:

O líder não faz tudo sozinho, mas delega poderes e distribui tarefas;

O líder não só manda, mas vai na frente para que seus liderados o tomem como exemplo;

O líder não tem porque considerar alguém uma ameaça para sua liderança, desde que esteja sob a direção Divina;

O líder não usa de subterfúgios nas suas ações, mas permite que as mesmas sejam examinadas a qualquer hora por quem interessar;

O líder deve estar ocupado não só na aquisição e conservação do patrimônio material da igreja, mas, sobretudo, do bem estar espiritual da mesma;

O líder respeita o seu liderado e o trata como co-herdeiro da mesma esperança.

 

A função pastoral na delegação de poder

A capacidade que as pessoas tem de realizar é determinada pela capacidade que tem o seu líder de delegar poder. O inimigo numero um da delegação de poder é o desejo de segurança na função. O líder fraco pensa que, se ajudar os subordinados, acabará se tornando dispensável para a organização.

 

ü  Delegando Poder

Somente líderes seguros delegam poder aos outros; só as pessoas que detêm poder conseguem desenvolver seu potencial. Se o líder não consegue ou não quer delegar poder aos outros, ele cria barreiras dentro da organização, que as pessoas não conseguem superar.

Muitas vezes as barreiras permanecem em pé por muito tempo, e as pessoas desistem ou procuram outra organização, onde possam trabalhar com todo seu potencial. Este tem sido um sério problema da igreja nos dias atuais, em que muitos líderes, com medo de perderem suas posições, criam imensas barreiras para que algumas pessoas, com capacidade de servir bem em um determinado trabalho, não venham exercer nenhuma atividade, simplesmente porque o líder tem medo de perder a sua posição de líder.

ü  A Eficácia da Delegação de Poder

Observando a ordem do grande mestre Jesus, quando enviou os seus discípulos na grande missão de levar a sua palavra e o seu Nome a todos os lugares da terra, encontramos nesta ordem, uma delegação de poder para em seu Nome pregar o evangelho, curar os enfermos e, de cidade em cidade, fazerem discípulos. Fundamental para delegar poder aos outros é acreditar firmemente nas pessoas.

A igreja de hoje precisa de um líder de sucesso, que saiba delegar poder, pois somente um verdadeiro líder será capaz de treinar outro líder e enviá-lo a realizar o trabalho.

 

 

ü  A função pastoral e os desafios da igreja nos dias atuais

O grande desafio do verdadeiro líder nos dias atuais é enfrentar as grandes mudanças que ocorrem na igreja, os “conflitos de gerações”, fato este que acontece cada vez mais na igreja. Nestes conflitos, os antigos cobram da liderança o retorno dos “marcos antigos” e os mais jovens o avanço das “novas conquistas”, cabendo ao líder manter o avanço necessário para a igreja, sem deixar que os “conflitos” separem as gerações do maior e principal objetivo da igreja: anunciar a salvação em Jesus e ser possuidora de uma vida regenerada.

 

ü  Os Desafios dos Relacionamentos na Igreja

Infelizmente, a cultura que gera relacionamentos superficiais vem afetando diretamente a igreja. Muitas igrejas da pós-modernidade não estão conseguindo alterar essa realidade e não conseguem gerar relacionamentos duradouros. As igrejas do passado eram como centros comunitários nas pequenas cidades e bairros onde se instalavam, onde se desenvolviam ambientes de relacionamento e os laços de amizade eram duradouros.

Hoje, as grandes igrejas agregam pessoas não só do bairro, mas de toda a cidade, pessoas habituadas a relacionamentos fugazes, com pouco contato pessoal, sem desejo de se exporem, gente que se encontra aos milhares, porém de uma forma rápida e superficial.

As igrejas gradativamente se convertem de centros comunitários para centros de autoajuda. O fim disto tudo é quem conseguem produzir momentos, apenas momentos, de júbilo, alegria e sensações e depois despedem as multidões de volta para a solidão e desespero de suas vidas.

            As Mudanças e a Tensão a Serem Vivenciadas pela Igreja

Estamos vivendo um período histórico de transição neste início de milênio. Trata-se de uma época de mudanças vertiginosas, profusas e desestabilizadoras.

Nos dias atuais são mudanças tecnológicas, culturais, filosóficas, políticas, etc...

Essas mudanças que ocorrem na sociedade, não são absolutamente irrelevantes para a igreja, pois cria um verdadeiro dilema, e necessidade urgente de resposta: Deve a igreja também mudar ou deve evitar a todo custo qualquer tentativa de mudança?

Parece um questionamento simples, porém não é tão simples quanto parece a princípio, pois se por um lado á igreja não pode estar isolada, por outro, há também limites para as transformações que possa sofrer.

Se a igreja mantiver um auto confinamento, distanciando-se das mudanças fora de seus limites, pode ser condenada à estagnação e ao isolamento dentro de sua cultura e de quatro paredes, ao passo que se aceitar as mudanças, sem qualquer critério acerca das ideologias, pode ser levada a secularizar-se.

Por esta razão é necessário um parâmetro que sirva de guia e referencial confiável. Tal parâmetro só pode ser representado pela Palavra de Deus, cujo crivo toda mudança deve ser submetida.

Devemos nos lembrar que a bíblia, já nos ensina que os extremos devem ser evitados. Nem o fanatismo legalista nem o liberalismo inconsequente.

 

O Pastor como Agente de Continuidade e Mudança

Um líder sem uma estratégia é como um soldado que vai para a guerra sem um plano de combate: logo percebe que será derrotado pelo inimigo.

O Pastor, como agente de continuidade da obra de Deus, precisa ser consciente das mudanças necessárias para o crescimento sadio da igreja e da organização, sabendo que não existe nenhum valor em ser líder apenas para ser uma foto na galeria de “ex-líderes” de sua organização. É necessário marcar época e coragem para enfrentar e fazer as mudanças.

Os líderes inconformados, inovadores e que estão realmente preocupados com as necessidades das pessoas, serão capazes de marcar época. São pastores que não querem apenas ver o tempo passar para entregar o cargo aoutra pessoa. São aqueles que dominam o tempo e fazem com que seus projetos ultrapassem barreiras e fronteiras

Às vezes para se marcar época é necessários fazer mudanças, e o nosso mestre Jesus Cristo não aceitou as tradições, foi um grande inovador e criou um impacto espiritual na vida das pessoas, deixando marcas profundas nas pessoas no seu tempo e nos dias de hoje.

O Pastor não pode ser apenas mais um líder, entre tantos que existem, ele precisa ser um líder que marque época, que tenha coragem para dar continuidade no que é necessário e mais coragem ainda de realizar as mudanças que marcarão para sempre a sua época.

Ser Pastor de uma organização e de um organismo vivo, como a Igreja do Nosso Senhor Jesus, não é simplesmente para se ter um emprego de um “alto executivo”, de grande “empresário”, mais é ser capaz de uma total dependência de Deus, é ser servo, capaz de administrar a obra de Deus com humildade e sabedoria, ser exemplo de vida para os que estão esperando uma orientação.

Pois quando se trata de Igreja, a coisa é bem diferente, visto que a nossa maior responsabilidade não é simplesmente mostrar os nossos valores e a nossa capacidade de servir as pessoas, mas a maior de todas, é realizar a obra de Deus, implantando o seu reino e a sua vontade entre os homens.

 

 

 

 

 

Descrição: http://3.bp.blogspot.com/-E_-vE9zYCMo/T4i-HxRRLsI/AAAAAAAAHNQ/z1zRY8s7Gz8/s1600/Jumento-do-Dia.jpgLegalização da igreja sistema organizacional

 

No desenvolvimento abaixo, mostraremos o que é uma “Igreja Organizacional”.  Todas as igrejas que estão legalizadas conforme as leis do Estado, esta é uma Igreja Sistema Organizacional. Mesmo que uma igreja não esteja conforme as leis do Estado, mas esta organizada internamente, ela é uma Igreja Sistema Organizacional, porém não esta oficialmente legalizada com as autoridades municipais, estado e federal.

Seguiremos abaixo com os passos que nos mostram a Igreja como Sistema Organizacional.

É de suma importância sabermos, que o criador da Igreja Organizacional foi o apostolo Paulo.  Reflexo disto, vemos dois pontos principais da Igreja Organizacional que é disciplina e hierarquia.  A igreja também é chamada de prima do militarismo; explicaremos isto no decorrer de nossa aula.

 

Para se organizar uma igreja da forma legal é necessário oito membros no mínimo e seguir os passos abaixo.

É importante que o obreiro (a) e a liderança compreendam que estes passos abaixo, são para fortalecer a explicação a cerca de que realmente há duas igrejas; a Igreja e a igreja.


 

 

 

I – Conceitos e objetivos: Associação Sem Fins Lucrativos:

Associação é uma entidade de direito privado, dotada de personalidade jurídica e caracterizada pelo agrupamento de pessoas para a realização e consecução de objetivos e ideais comuns, sem finalidade lucrativa.

II – Características de uma Associação Sem Fins Lucrativos:

1. constitui a reunião de diversas pessoas para a obtenção de um fim ideal, podendo este ser alterado pelos associados;

2. Ausência de finalidade lucrativa;

3. O patrimônio é constituído pelos associados ou membros;

4. Reconhecimento de sua personalidade por parte da autoridade competente.

 

                           
III – Roteiro para constituição e registro de associações:

1. Elaboração e discussão do projeto e Estatuto Social;

2. Assembleia Geral de constituição da Associação;

3. Obtenção de inscrição na Receita Federal – CNPJ;

4. Inscrição na Secretaria da Fazenda – Inscrição Estadual (se vender produtos);

5. Registro da entidade no INSS;

6. Registro na Prefeitura Municipal.

7. Documentos do Presidente e membros que assinam atas e estatutos social

(CPF, RG, Comprovante de residência.)

8. Contrato de Locação e respectivo IPTU

É importante se saber, que os passos a cima mencionados, é parte principal da igreja como uma organização. Estes passos são de suma importância para se organizar uma igreja de forma jurídica.  Sendo assim, obreiros (as) devem se conscientizar a cerca das duas igrejas existentes na terra.  Este tipo de conhecimento, nos leva a obrigatoriedade de adquirirmos no mínimo, conhecimentos básicos concernente as  leis que regem nosso país. Por este motivo que neste curso também abordaremos conhecimentos básicos a cerca do Código Civil e da Constituição Federal.

 

Documentário em vídeo indicado: Plantador de igreja

Livro evangélico \ ficção: Porque você não quer ir mais a igreja

Este livro dará ao leitor, uma visão dos dois modelos de igreja e como somos influenciados por eles. O filme trata de uma estória, e não de uma história.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conclusão

Neste módulo, procuramos passar ao aluno, alguns conhecimentos que julgamos serem importantes para o inicio de ministério de um obreiros (a) e lideranças.

Embora o aluno deva buscar maior conhecimento a cerca dos assuntos que foram abordados, todavia o conteúdo e os subsídios que foram transmitidos aos alunos são primordiais para que ele (a) possa exercer seu chamado.

Nos próximos módulos, iremos abordar disciplinas essenciais para que os novos obreiros (as) e as novas lideranças, possam atuar com maior propriedade e se posicionarem como obreiros (as) e lideranças aprovadas.

O conhecimento para se exercer o ministério na atualidade é de suma importância para que se possa obter êxito ministerial.  O Senhor Jesus usando o apostolo Paulo disse em sua carta IIª carta a Timóteo 2:15  ...procure apresentar-te a Deus como obreiro aprovado...

 

 

 

 
  Descrição: https://encrypted-tbn2.google.com/images?q=tbn:ANd9GcROu5AMWenNbvApRZYIDb4lITpGUEx3HGL_LYIyVnlEDPNVaVGPJQ

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Referencias

 

Bíblia Sagrada Genebra

Bíblia Sagrada Explicada

www.pedagogiaaopedaletra.com/posts/a-influencia-dos-midia-no-imaginario-infantil/

BETTELHEIM, Bruno. A psicanálise dos Contos de Fadas, ed Paz e Terra.

www.temqueterestilo.com.br

Pátio, ano VIII, n°32, novembro de 2004, p. 58 (Arte na Escola)

www.vivos.com.br/394.htm

www.adbc.com.br/estudos/etica-ministerial

Educação, n°91, novembro de 2004, p. 42 (Xuxa e seu império)

Pinóquio. esther@navedapalavra.com.br

www.pailegal.net

www.subliminar.com.br

www.gostodeler.com.br

 

 

—————

Voltar